Na sessão desta segunda-feira (08) na Câmara Municipal de Caicó, o vereador Max Azevedo fez um discurso contundente e apresentou um requerimento pedindo o afastamento do prefeito de Caicó, Dr. Judas Tadeu, por descumprimento da lei orgânica do município. Max afirmou que caberá à mesa diretora e à procuradoria jurídica do município tomar os procedimentos necessários.

O vereador declarou que, se dentro de dez dias seus requerimentos não forem atendidos, ele solicitará mais uma fez o afastamento do prefeito.

Max também denunciou uma suposta formação de quadrilha dentro da administração municipal e afirmou ter apresentado uma denúncia ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO). Segundo ele, houve falsificação de documentos e fraude em licitações para a contratação de empresas.

“Hoje entrei com requerimento nessa casa pedindo o afastamento do prefeito de Caicó por não cumprir a lei orgânica do município. Cabe aí à mesa diretora e à procuradora jurídica do município tomar os procedimentos necessários. E no dia que completar dez dias, que eu fizer um requerimento nessa casa, que for feito um ofício nessa secretaria, vou pedir o afastamento porque meus colegas podem viver com as calças na mão, mas eu não”, declarou o vereador.

Max acusou membros da administração de formar uma quadrilha para desviar recursos do município.

O vereador também deixou claro que, independentemente de quem esteja envolvido, ele continuará denunciando atos de corrupção. “Seja o prefeito atual ou outro, essa historinha de ser, ah, eu vou pedir um requerimento… Eu queria saber onde é que a Vossa Excelência estava quando foi vereador das outras vezes”, questionou Max a alguns colegas presentes na sessão.

Com informações de Blog Marcos Dantas