O diretor de cinema e professor de Audiovisual da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Carlos Segundo, foi convidado para ser um dos sete brasileiros a integrar a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos para ajudar a escolher os indicados a maior premiação de cinema do mundo, o Oscar.

A lista dos novos integrantes convidados para integrar o corpo de votantes da premiação foi divulgada nesta terça-feira 25. Ao todo, a academia conta com 487 nomes de 57 países.

Carlos segundo, diretor dos filmes “Sideral” (2021) e “Big Bang” (2022), foi incluído na lista dos curta-metragistas.

Completando a lista de brasileiros, estão Maeve Jinkings, atriz que fez os filmes “O Som ao Redor” (2012), “Boi Neon” (2015), “Aquarius” (2016) e “Padágio” (2023), para o comitê de atuação, Juliana Rojas, dos longas “Trabalhar Cansa” (2011), “Sinfornia da Necrópole” (2014) “As Boas Maneiras” (2017) e “Cidade; Campo” (2024), para a categoria de direção.

No campo dos documentários, foram selecionados Jorge Bodanzky, responsável por “Amazônia, a Nova Minamata?” (2022) e “Iracema: Uma Transa Amazônica” (1974), e José Joffily, conhecido por “Quem Matou Pixote?” (1996) e “Sinfonia de um Homem Comum” (2022). Plínio Profeta, compositor de trilhas para “O Palhaço” (2011) e “Soundtrack” (2017), foi reconhecido na categoria de música. Renata de Almeida Magalhães, produtora de “Praça Paris” (2017) e “Pendular” (2017), assim como Tatiana Leite, produtora de “Benzinho” (2018) e “Regra 34” (2022), foram convidadas para representar o Brasil na categoria de produção.

Fonte: Agora RN