13.09.2017 | Geral Estudo aponta crescimento da economia no Rio Grande do Norte

Levantamento integra o ‘Mapa da Recuperação Econômica’.

Com um bom desempenho na agropecuária, indústria e serviços, o Rio Grande do Norte tem perspectivas positivas de alcançar o terceiro maior Produto Interno Bruto (PIB) da região Nordeste em 2017, ficando atrás apenas dos estados do Maranhão e do Piauí. A projeção faz parte do estudo “Mapa da Recuperação Econômica”, do banco Santander e divulgado pelo jornal “Valor Econômico”. Segundo levantamento, o PIB do RN pode ficar em 0.5% este ano.

“A perspectiva desse estudo é um alento diante da maior crise econômica que vivemos no Brasil e com reflexos severos no RN. Os dados mostram que o estado começa a esboçar uma reação de crescimento da atividade econômica mesmo com o cenário atual. Não estagnamos e vamos seguir trabalhando para o crescimento de todas as atividades dentro do Estado”, destacou o governador Robinson Faria.

Entre os setores que foram analisados na pesquisa, a agropecuária puxou o crescimento com maior percentual dos três itens analisados, apresentando 4.4%. Segundo o titular da secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape), Guilherme Saldanha, o governo tem apoiado o setor em várias vertentes, como melhoria da infraestrutura e atração de novas empresas agropecuárias. “Também estamos discutindo a desburocratização do licenciamento ambiental e isso também facilita novos investimentos e financiamentos, em especial para micro, pequenos e médios produtores”, acrescentou.

Além dos fatores citados por Saldanha, o governo segue investindo em legislações adequadas para cadeia do leite/queijo e a carcinicultura, em pequenos produtores e as atividades de pecuária, bem como a agricultura irrigada e beneficiamento de produtos agrícolas, investindo mais de R$ 35 milhões através do programa Governo Cidadão, por meio do Acordo de Empréstimo com o Banco Mundial.

Segundo melhor percentual, a indústria apresentou 0.6%. No RN, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Flávio Azevedo, destacou três ações de incentivo do governo que subsidiam essa expectativa de crescimento. “Embora todos os estados possuam programas de incentivo, nosso diferencial é a agilidade no processo de resposta. A concessão do Proadi, por exemplo, passa por diversas pastas, mas trabalhamos de forma colaborativa o que gera celeridade na liberação. O RN Gás Mais é o único programa do tipo no Nordeste, aliviando o gasto das empresas com o custo da energia. Soma-se a eles, a facilitação do licenciamento ambiental por meio do Idema, o que dá agilidade na instalação das indústrias e/ou empresas”, disse o secretário.

O Proadi é considerado o maior projeto de incentivo fiscal às indústrias que se instalam no estado. A iniciativa oferece redução no valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na parcela recolhida ao Estado. Atualmente, mais de 100 empresas dos mais variados segmentos são beneficiadas e geram aproximadamente 30 mil empregos diretos no RN. Outro incentivo oferecido pelo Governo do Estado é o RN Gás Mais, que tem como objetivo fomentar a atividade industrial, com tarifa diferenciada no consumo de gás natural para as empresas que se instalem no interior do estado ou nos Distritos Industriais, inclusive em Natal.

Especialista em Economia e chefe da Unidade Estadual do IBGE no RN, José Aldemir Freire reforça que os números, ainda que caracterizados como uma estimativa, devem ser comemorados. “Os dados apontam que o estado, mesmo não como um todo, já apresenta índices positivos, ou seja, caminhamos para uma saída dessa crise”. Ele lembrou, ainda, que segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de janeiro a julho deste ano, o setor de serviços registrou aumento de 0.3% em se comparado a igual período de 2016.

Serviços foi o terceiro item analisado pelo estudo “Mapa da Recuperação Econômica”. Nele, o Rio Grande do Norte apresentou a expectativa de crescimento girando em torno dos 0.3%. O setor engloba as atividades como o Turismo, entre outros serviços. “Os números corroboram com a política que foi adotada desde o início da gestão de apoiar e desenvolver o turismo como nunca antes visto na história do RN”, pontuou o titular da secretaria de Estado do Turismo (Setur), Ruy Pereira Gaspar.

Segundo o gestor da Setur, o Rio Grande do Norte registrou no mês de agosto o crescimento de 13,5% no volume de turistas. De janeiro a agosto o percentual foi de 8%, o que injetou na economia mais de R$ 300 milhões se comparado ao mesmo período do ano passado.

“Em meio aos muitos problemas que temos enfrentado – na segurança e na economia, com queda de receitas – surge uma primeira luz no fim do túnel. O índice mostra que estamos em melhor situação do que a Paraíba, Pernambuco, Bahia, Sergipe e Alagoas na projeção do PIB. Estamos empatados com o Ceará e só perdemos para Maranhão e Piauí, que estão vivendo um grande momento pela expansão da soja. É alentador saber que as nossas escolhas, de incentivar o turismo, a indústria, a fruticultura e o camarão, para gerar emprego e combater a crise foram acertadas” finalizou o governador.

13.09.2017 | Geral Rogério Marinho: “Ação do MPT contra Pró-Sertão é desastrosa, contrária ao RN e afronta a lei”

Um dos maiores projetos de desenvolvimento econômico já criados no Rio Grande do Norte está ameaçado. O Programa de Industrialização do Interior (Pró-Sertão), responsável pela geração de quase 3 mil empregos em pequenas cidades do Estado é o alvo principal de uma ação movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) contra a empresa Guararapes, gigante do setor têxtil que tem capitaneado o projeto desde a sua implantação em 2013. Na Justiça, o MPT pede que seja aplicada uma multa de R$ 38 milhões no grupo empresarial.

“A postura do MPT, representado pela procuradora Ileana Neiva, é claramente doutrinária, ideológica, e está ultrapassando o seu limite como órgão fiscalizador da legislação trabalhista”, disse o parlamentar, criador do Pró-Sertão durante sua passagem pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte. “A ação do MPT visa multar a Guararapes, que é uma empresa com décadas de atuação no RN, por levar emprego para dezenas de municípios que só tinham como alternativa de renda a previdência social, o Bolsa Família e os salários pagos pela Prefeitura”, disse.

De acordo com Rogério, o processo movido pelo MPT é “desastroso, contrário à economia do RN e ainda afronta a lei, porque a terceirização já foi aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo Executivo desde março deste ano. Não é possível que, em um momento grave como o atual, de crise econômica e desemprego, o MPT atue dessa forma”.

Segundo o deputado, o que está ocorrendo é um “atentado contra o RN e deve ser repudiado por toda a sociedade. A ação do MPT coloca o Estado em uma situação vexatória. Vivemos em um ambiente hostil, onde se encara o empreendedor como um inimigo, como se não bastasse a alta carga tributária do nosso país, a falta total de logística, não temos ferrovias ou um porto adequado. E ainda essa postura agressiva, irracional, baseada em questões ideológicas, doutrinárias, de quem interpreta a lei de uma forma peculiar”.

13.09.2017 | Geral Projeto que destina recursos recuperados da corrupção à Saúde avança para CCJ

Trabalho , Administração e Serviços Públicos nesta quarta-feira (13), o Projeto de Lei 2760/2015, de autoria do deputado federal Beto Rosado (PP), que determina a destinação dos recursos recuperados de esquemas de corrupção diretamente para a Saúde Pública do País, segue para a última fase de tramitação na Câmara dos Deputados: a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O texto, elaborado em parceria com a Fraternidade Ivan Brasil (FIB) da Maçonaria, prevê a criação de uma conta no Ministério da Saúde para receber os recursos recebidos em condenações e devolução de dinheiro público desviado indevidamente. Atualmente, os recursos são depositados numa conta judicial e a destinação só é definida no final do processo. Se aprovada pela CCJ, a matéria seguirá para o Senado.

13.09.2017 | Geral PIB: deputado Fábio Faria comemora crescimento do RN em 2017

Parlamentar ressalta importância do setor agropecuário potiguar, que impulsionou o aumento, com alta de 4,4%

Os números ainda são tímidos, mas apontam crescimento: o Rio Grande do Norte deverá fechar 2017 com um aumento de 0,5% do PIB, terceira maior projeção no Nordeste, juntamente com o Ceará. A previsão está dentro da média nacional, de acordo com levantamento feito por economistas do banco Santander. Para o deputado Fábio Faria, isso marca a retomada do crescimento da economia potiguar, mesmo ainda diante de um cenário de crise.

“Sete estados brasileiros devem ter queda do PIB e nove ficar abaixo do desempenho nacional, cinco deles do Nordeste, como Pernambuco. A situação ainda tem muito o que melhorar, mas a alta no Rio Grande do Norte já é um bom sinal de reanimação da economia, impulsionada pelo setor agropecuário”, comenta o parlamentar. Ele ressalta que é o agronegócio, inclusive, que tem puxado o crescimento do PIB no país (no caso do RN, a alta foi de 4,4%).

Diante disso, Faria reafirma a preocupação em apoiar e executar ações para diminuir os efeitos da estiagem prolongada no Estado, como é o caso do colapso de água em Macau e Pendências devido à seca do rio Piranhas-Açu. “O envio de carros-pipa e outras ações emergenciais como perfuração e instalação de poços nos municípios potiguares – ações que tenho solicitado junto ao Governo – são essenciais para manter a agricultura e pecuária, setores importantes e responsáveis pelo crescimento do nosso PIB, enquanto outros ainda se recuperam”, afirma.

12.09.2017 | Geral ALTERAÇÃO EM EMPRÉSTIMO GERA DISCUSSÃO EM TORNO DE TAXA E MULTA

Os valores de taxa e multa a serem cobradas pela Caixa Econômica Federal no contrato de empréstimo no valor de R$ 234 milhões, que o governo pretende modificar o seu plano de aplicação foram os pontos mais discutidos na reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), realizada na manhã desta terça-feira (12).  Como na documentação encaminhada pelo Executivo à Comissão, não diz quanto a modificação custará aos cofres públicos, o deputado Kelps Lima (Solidariedade) pediu vista da matéria.

“Essa taxa e multa podem ser inviável para o Estado e aprovar o projeto sem essa informação é dar um tiro no escuro com o dinheiro público. É preciso que o Governo saiba da Caixa qual o custo dessa modificação”, justificou o deputado Kelps Lima.

Pelo contrato original assinado em 2013, os recursos eram destinados para as obras na avenida Roberto Freire. Na modificação pretendida pelo Governo do Estado, os recursos serão aplicados em obras de saneamento básico em Natal, no acesso Sul do Aeroporto Internacional Aluizio Alves e reforma do Centro de Convenções de Natal. Para melhoramento da Roberto Freire serão destinados R$ 27 milhões.

A deputada Márcia Maia (PSDB), relatora da matéria, já tem o seu parecer favorável quanto à constitucionalidade da matéria, mas acatou o pedido de vista, para que o secretário de Planejamento e Finanças, Gustavo Nogueira dê as explicações, já que foi convidado pela CCJ para participar nesta quarta-feira (13) de uma reunião conjunta com as comissões de Finanças e Fiscalização (CFF) e de Administração, Serviços Públicos e Trabalho (CASPT).

“Se as explicações do secretário tirarem as dúvidas, a matéria será votada na Comissão de Constituição e Justiça, ainda nesta quarta-feira”, afirmou a relatora da matéria, deputada Márcia Maia.

Novo Empréstimo

Na reunião conjunta, o secretário Gustavo Nogueira vai, também, dar explicações sobre novo empréstimo que o governo pretende contratar junto à Caixa Econômica, no valor de R$ 698 milhões, no âmbito do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (FINISA).

Com esse empréstimo o Estado terá condições de colocar a folha de pagamento de pessoal em dia, pois o Governo terá de volta ao seu tesouro os investimentos feitos em contrapartidas de obras de saneamento básico, estradas e do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial (PROADI), desafogando a fonte 100.

A matéria não teve dispensa de tramitação. Ela tramita em regime de urgência com prazo de 45 dias para chegar ao plenário para discussão e votação. Já estão definidos os relatores. Na CCJ será a deputada Larissa Rosado (PSB); na CFF (Tomba Farias) e na de Administração, Cristiane Dantas (PCdoB).

Participaram da reunião os deputados Kelps Lima, Márcia Maia, Larissa Rosado, Carlos Augusto (PSD), José Adécio (DEM), Dison Lisboa (PSD), Albert Dickson (PROS) e Nélter Queiroz (PMDB).

 

12.09.2017 | Geral EXPOSIÇÃO DO MEMORIAL DA ASSEMBLEIA NO MIDWAY MALL COMEÇA SEXTA-FEIRA

A história do Rio Grande do Norte em imagens, objetos e documentos. Assim será a exposição do Memorial da Assembleia Legislativa no shopping Midway Mall, do dia 15 ao dia 30 de Setembro de 2017. A programação faz parte das celebrações do Setembro Cidadão no Rio Grande do Norte e será aberta ao público com entrada gratuita no horário comercial do shopping.

“A ideia é apresentar a população a trajetória do Legislativo Potiguar, a arte, a religião, a cultura e a política que se entrelaçam com os dados da história do Rio Grande do Norte”, disse o presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira (PSDB).

A exposição foi planejada para apresentar em um espaço com grande visibilidade uma parte do acervo do Memorial do Legislativo Potiguar que mantém na sede do parlamento estadual exposição permanente com a história dos deputados e sua trajetória política, utilizando objetos pessoais dos deputados, fotos de atividade parlamentar, documentos oficiais e ilustrações que retratam a ‘linha do tempo’ das sedes do Poder Legislativo no Rio Grande do Norte. Para a exposição fora do Palácio José Augusto, uma nova disposição de apresentação foi desenhada pela equipe do Memorial Legislativo.

Um dos historiadores que apresentam o Memorial, Fábio Cortez, destaca os quatro pontos principais relatados em espaços subdivididos na exposição, mostrando curiosidades e fatos históricos que marcaram a trajetória da sociedade norte-riograndense. “Vamos mostrar itens que marcaram legislaturas, curiosidades sobre momentos políticos do passado e a democracia foi consolidada no Rio Grande do Norte”, explica o historiador.

No espaço, haverá um local destinado a expor objetos e paineis que relatam as quatro Assembleias Constituintes, dos anos 1935, 1947, 1967 e 1989. Também na exposição, imagens mostrarão as 11 antigas sedes do Poder Legislativo, a história do folclorista e ex-deputado Câmara Cascudo (que ocupou o cargo por três dias) e também o pioneirismo feminino na política e democracia do Rio Grande do Norte.

Todas as visitas serão guiadas e explicadas por historiadores do Poder Legislativo que receberam alunos de escolas da rede pública e particular do Rio Grande do Norte.

Exposição

A história do Poder Legislativo potiguar será contada no Shopping Midway Mall entre os dias 15 e 30 de setembro em exposição formada por painéis, quadros, documentos e objetos. A mostra faz parte da programação do Setembro Cidadão, projeto pioneiro no Brasil com atividades voltadas para a formação cidadã.

A mostra promove um passeio pela história potiguar que aos poucos vai revelando detalhes e preciosidades de uma boa parte dos 182 anos de história da Assembleia Legislativa do RN e do trabalho dos deputados estaduais desde sua fundação.

A abertura da exposição será às 10h do dia 15 de setembro, com a presença do presidente da Casa, Ezequiel Ferreira, parlamentares e outras autoridades do Estado. A exposição estará aberta de domingo a domingo durante o horário de funcionamento do shopping.

12.09.2017 | Geral Governador defende compensação financeira para ampliar investimentos na Segurança

Na reunião dos governadores realizada no início da tarde desta terça-feira, 12, na cidade de Diamantina, em Minas Gerais, o governador do RN, Robinson Faria, defendeu um novo modelo de compensações para os estados que permita o encontro de contas com a União.

“Precisamos imediatamente de uma compensação para estas perdas, que refletem na população em áreas primordiais como Segurança Pública”, destacou o chefe do Executivo potiguar.

O foco das perdas destacadas pelo governador está na Lei Kandir, que regulamentou a aplicação do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação (ICMS). Uma das normas desta legislação é a isenção do pagamento de ICMS sobre as exportações de produtos primários e semielaborados ou serviços.

A lei gera polêmica entre os governadores de estados exportadores, que alegam perda de arrecadação devido à isenção do imposto nesses produtos. “Desde a promulgação da Lei Kandir, há 21 anos, as perdas nos estados acumularam-se a valores exorbitantes e vêm prejudicando, cada vez mais intensamente, a capacidade do cumprimento das atividades inerentes aos Estados, especialmente Educação, Saúde e Segurança”, destaca trecho da Carta Aberta assinada por oito governadores.

Até 2003, a Lei Kandir garantiu aos estados o repasse, pela União, de valores a título de compensação pelas perdas decorrentes da isenção de ICMS. Mas, a partir de 2004, a Lei Complementar 115 – embora mantendo o direito de repasse – deixou de fixar o valor. Com isso, os governadores precisam negociar a cada ano com o Executivo o montante a ser repassado, mediante recursos alocados no Orçamento Geral da União.

HOMENAGEM

Em Diamantina, Robinson Faria recebeu a Medalha Presidente da República Juscelino Kubitschek, também conhecida como Medalha JK. A comenda é concedida pelo Governo do Estado de Minas Gerais para premiar o mérito cívico de personalidades e entidades que prestam serviços de excepcional relevância à coletividade e que tenham contribuído para o crescimento das instituições políticas e governamentais para o desenvolvimento dos municípios, estados ou do país.

Antes da entrega, o chefe do Executivo de Minas realçou o orgulho que os mineiros têm em relembrar a trajetória de JK. “Essa lembrança inspira a todos os brasileiros, em meio à tempestade que o país atravessa. E para atravessar e vencer essa tumultuada quadra da nossa história, Minas oferece o exemplo de Juscelino”, destacou.

12.09.2017 | Geral Audiência discute condições de familiares e presos do sistema carcerário

Parentes de apenados do sistema carcerário do Rio Grande do Norte se reuniram na manhã de hoje (12) em audiência pública na Câmara Municipal de Natal, reivindicando melhorias no tratamento às famílias e aos presidiários. Entre relatos e denúncias, a audiência, proposta pelo vereador Sandro Pimentel (PSOL), proporcionou o diálogo entre as famílias e o Estado, representado, na ocasião, pelo Secretário Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc), Luis Mauro Albuquerque Araújo.
As mães, esposas e filhas de detentos relataram que passam por constrangimento na revista para visitar os presos e a impossibilidade de visitas aos encarcerados na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP). Também falaram sobre dificuldades de entrar com alimentos, mesmo depois de revistados e de entregar material de higiene, sendo que há  presos com até trinta dias sem tomar banho. Neste sentido denunciaram ainda que as refeições servidas nas unidades prisionais são irregulares e de má qualidade e que os detentos sofrem, inclusive, tortura, sem razão aparente. O massacre durante a rebelião no início do ano no presídio de Alcaçuz também foi relembrado, inclusive com previsões de que pode voltar a acontecer episódio semelhante, visto que membros de facções rivais dividem o mesmo espaço.
O secretário Luís Mauro respondeu às questões apresentando os encaminhamentos já realizados pela pasta. Ele destacou que os pavilhões reformados de Alcaçuz ainda estão vazios porque não há efetivo de agentes para trabalhar lá e que os detentos de facções rivais não estão juntos nas mesmas celas, por isso, não há contato físico e  visual entre eles. Também reconheceu que há corrupção da parte de alguns agentes e pediu ajuda nas denúncias. “Me passem nomes e como eles atuam, teremos prazer em pôr-lhes algemas, porque aqueles que usam esta farda para praticar corrupção nos presídios são bandidos”, disse.
O titular da Sejuc também se comprometeu a averiguar as condições em que as revistas são feitas nas visitas, mas disse que precisa haver limitação para liberação de pertences, alimentos e outros materiais porque qualquer material pode ser transformado em armas pelos presos. “Temos preocupação com as crianças para que não tenham contato com o ambiente da prisão e por isso temos impedido que elas acessem esses locais. Estamos providenciando áreas específicas para que as crianças possam encontrar com os pais nos presídios e aceitamos as doações de materiais de limpeza”, garantiu o secretário, alegando que o plano de estruturação do sistema prisional está sendo feito para proteger internos e visitantes de modo que não sejam usados pelas facções criminosas.
O vereador Sandro Pimentel disse que seu mandato vai acompanhar de perto as medidas tomadas pela Sejuc após a audiência, que foi inédita na Câmara Municipal por conseguir mediar o diálogo entre familiares de detentos e o governo de forma pública e transparente. “A situação dos presos está para aquém do que a lei diz. Recebemos denúncias de maus tratos, tortura e privação de higiene e alimentação. De imediato conseguimos fazer com que as visitas no PEP sejam retomadas e que o material de higiene e lanche  chegue aos presos. Temos o compromisso de ficar acompanhando o que ficou garantido aqui. Quem cometeu o crime tem que pagar, mas de forma digna”, frisou.
Para a professora da UFRN Juliana Melo, mestre em antropologia social, é preciso trabalhar na ressocialização dos detentos e não deixá-los a mercê das facções, porque as más condições dos presos no sistema carcerário resultam em violência fora dos presídios, atingindo toda a sociedade. “Prova disso são bairros sendo dominados por facções e todo um esquema de vingança envolvendo facções, polícia e que chega ao cidadão. A gente acaba entrando num espiral de violência, sendo que, oferecer prisão mais digna reflete no combate a violência fora das prisões. Uma guerra por territórios ocorre no presidio e fora dele. Quanto pior dentro, pior fora. Prender por prender não resolve, se fosse assim, não teríamos a quarta maior população carcerária com a violência só aumentando”, explicou a professora.

12.09.2017 | Geral Kleber Fernandes é o novo presidente da Comissão de Justiça

A Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final, da Câmara Municipal de Natal reuniu-se nesta manhã (11) e aprovou 16 projetos que estavam em tramitação. Na ocasião, os membros da comissão elegeram o vereador Kleber Fernandes (PDT) presidente do colegiado.

“Recebemos essa missão com responsabilidade, honra, alegria e designação para presidir a mais importante comissão da Casa que tem volume de trabalho grande. Nossa intenção é manter o nível de debate e a celeridade, de forma que os projetos continuem saindo daqui sem nenhum vício de constitucionalidade”, disse o vereador.

As mudanças na comissão também se estendem à sua composição que agora passa a contar com os vereadores Fulvio Mafaldo (SD), substituindo temporariamente o vereador Klaus Araújo; e Sueldo Medeiros (PHS), que que completa a comissão no lugar do ex-vereador Aldo Clemente. “É uma comissão que tem grande fluxo e vamos nos dedicar para que esse ritmo não pare”, disse Sueldo.

Participaram ainda da reunião os vereadores Nina Souza (PEN), Preto Aquino (PEN) e Robson Carvalho (PMB). Na reunião de hoje, a comissão aprovou 16 projetos, rejeitou três e pediu vistas de outros três. Entre eles projetos relacionados à violência como o que denomina a lei “Lei Mikaela Ferreira Avelino” a lei que proíbe a circulação de carros fortes no horário comercial e próximo às escolas; a rejeição ao veto do Executivo à “Lei Karol Álvares”, que protege parentes de pessoas assassinada, vítimas da violência; e o que cria o programa “bairro seguro”, de autoria de Nina Souza, autorizando moradores a realizarem sinalização e bloqueio em bairros considerados zoneamento residencial para se proteger da violência.

Também aprovaram a criação do  mês do combate ao superendividamento e resgate do crédito do consumidor, do vereador Kleber Fernandes; a Semana de coleta de resíduos para ações conjuntas com parceiros, do vereador Felipe Alves (PMDB); a Semana de prevenção ao câncer de boca e garganta, da vereadora Carla Dickson (PROS); e a Semana da cidadania LGBT, de autoria dos vereadores Dickson Júnior (PSDB) e Natália Bonavides (PT). Outro projeto aprovado foi o do vereador Ubaldo Fernandes (PMDB), que compareceu à reunião para defender a proposta que obriga a concessionária de energia elétrica a isolar cabos de alta tensão da rede elétrica na capital.

12.09.2017 | Geral Mini fábrica de confecções muda vida de mulheres em Passa e Fica

Trinta costureiras irão produzir fardamentos, shorts, blusas, calças e vestidos para todas as idades com o investimento do Governo do Estado. Prédio que irá abrigar mini fábrica e lojinha já foi construído.

Trinta famílias de Passa e Fica verão suas vidas mudar com o projeto de Inclusão Produtiva que envolve a construção de uma mini fábrica e uma loja de confecções. A comunidade de Lagoa do Cipoal, que jamais viu algo do tipo acontecer, agora tem uma unidade fabril quase pronta para se orgulhar. Orçado em R$ 244 mil, o projeto é um convênio com o Governo do RN, por meio do projeto Governo Cidadão, com recursos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial, e tem coordenação da Secretaria do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas).

O prédio que sedia a Associação dos Produtores Rurais da Comunidade de Lagoa do Cipoal recebeu um anexo e um primeiro andar, que servirão como lojinha para venda das confecções produzidas e fábrica, respectivamente. A obra está em fase de acabamento. A presidente da Associação e agricultora, Cláudia dos Santos Oliveira, comemora os investimentos que a comunidade está recebendo.

“Isso nunca existiu aqui. É uma grande oportunidade de renda para essas mulheres, pois a maioria é dona de casa e não possui ganho próprio. É uma forma de elas buscarem o próprio dinheiro e ainda preencherem o tempo”, destaca Cláudia. Algumas já costuram, outras vão aprender com as capacitações que serão contratadas pelo projeto.

“A ideia das mulheres de Lagoa do Cipoal é confeccionar fardamentos, shorts, blusas, calças e vestidos para todas as idades. A comercialização se dará nas feiras livres do município e na própria comunidade”, esclarece Vagner Araújo, secretário de Metas, Gestão e Projetos.

Segundo Cláudia, o próximo passo é realizar a licitação para compra das máquinas de costura e, após isso, criar o regimento interno que irá definir o papel de cada uma no negócio. “Se todas levarem a sério, temos tudo para crescer. Queremos fazer o regimento e definir que se alguém desistir, uma pessoa da família possa entrar e dar continuidade. A ideia é não parar com o projeto”, diz.

“Temos uma equipe da Sethas acompanhando e supervisionando toda a obra. A primeira fase foi concluída, a segunda será a aquisição de máquinas e equipamentos para a confecção das peças. A terceira será a realização de capacitações em corte e costura, em informática e em gestão. A quarta etapa será o início da produção das confecções”, declara Julianne Faria, titular da Sethas.

Entre os objetivos do projeto de inclusão produtiva estão fortalecer a organização econômica, social e política dos produtores rurais; ter fonte alternativa de geração de renda para as famílias beneficiadas pelo projeto dentro da comunidade onde moram; melhorar as condições socioeconômicas das famílias envolvidas; inserir a mulher no mercado de trabalho; formar um grupo produtivo para dar continuidade ao processo de ação projetada; oportunizar a inserção dessas pessoas no mercado produtivo, utilizando esta mão-de-obra na mini fábrica de confecções; capacitar as mulheres em confecções, em bordado e coleções de acordo com os novos mercados.

Fotos: João Vital/Assecom Governo Cidadão

ÚLTIMA EDIÇÃO
INSTAGRAM
  • Categorias